A vida é cíclica. É uma roda que gira, passando por altos e baixos e seguindo pelas mais variadas e imprevisíveis rotas. Algumas suaves, outras desafiadoras, mas todas necessárias. Nós percorremos os caminhos até que eles começam a se dividir. Então, chegamos aos pontos-chaves decisivos da vida: nossas escolhas.

2017 provavelmente está terminando bem diferente do que começou para muita gente, e não era para menos. O ano foi regido pela carta de número 10 (2+0+1+7=10), A Roda da Fortuna, que representa, entre outros aspectos, muito movimento e transformações.

Foi um período de mudanças inevitáveis e alguns acontecimentos não previstos. Se você não colocou a vida nos eixos logo nos primeiros meses, pode ser que a Roda tenha corrido um tanto desgovernada – enchendo-lhe, muitas vezes, de um senso de urgência, preocupações e ansiedades.

Mas, apesar de todo o “alvoroço”, esta carta também veio representando sorte e nos convidando a olharmos de forma mais leve e alegre para nossa existência. Além de ter fornecido muita coragem para seguirmos em frente, apesar de quaisquer circunstâncias!

Agora que este ciclo chega ao fim, vale refletir: o que você aprendeu com todas as situações e sentimentos que viveu? Lembre-se que as surpresas servem para trabalharmos o excesso de controle que teimamos em ter sobre as coisas, e podem nos trazer vantagens inesperadas; basta olharmos para elas de uma maneira mais positiva.

Imprevistos às vezes são chatos? Sim. Mas pense no que eles podem ter livrado você, nos aprendizados que eles lhe trouxeram e no poder de superação para contornar essas questões que você adquiriu. Às vezes a sorte é só uma questão de gratidão ao Universo.

Influências da carta do Mago

2017 também sofreu influências da carta de número um (1+0=1), O Mago, indicando que seria um ano muito mais para “fazer acontecer” do que para ficarmos perdidos em planejamentos e teorias sem colocarmos a sabedoria em prática.

“Ponha a mão na massa e conquiste aquilo que você quer”, diz O Mago. E, claro, para assumir esse tipo de controle sobre seu sucesso, seria preciso muita autoconfiança, iniciativa e criatividade.

2018, um ano de grande decisões

Se a pressa e correria de 2017 fizeram você empurrar algumas decisões importantes mais para frente, agora não tem como escapar: 2018 vem regido pela carta da Justiça (2+0+1+8=11) e confiança na tomada de decisões é lei.

Esta carta vem alertar para que você procure não fazer escolhas no impulso: delibere, pese na balança todos os lados envolvidos, use do equilíbrio e da sensatez. Após todo esse processo, você será capaz de tomar decisões com muito mais segurança e firmeza, e se manter fiel a elas.

É possível que o "senso de justiça" de todos esteja bastante aflorado no ano que vem vindo, pois esta também é a carta do Karma – representando todas as consequências dos nossos próprios comportamentos e conduta. Plante o bem e colha o bem; plante o mal e colha o mal; plante os mesmos erros e colherá os mesmos resultados... Ou seja, lembre-se de erros já cometidos no passado para não cair nas mesmas armadilhas.

Por fim, 2018 também sofrerá influências da Grã-Sacerdotisan (1+1=2), que amplia a nossa sensibilidade e receptividade, favorecendo nosso desenvolvimento e conexão espirituais. Será um ótimo ano para trabalharmos o campo místico ou religioso das nossas vidas, aprimorando conhecimentos (sobretudo, autoconhecimentos) e percepções de mundo.

OBSERVAÇÃO

Esta análise foi feita com base nos meus estudos e baralhos de Tarot. Os cálculos e referências teóricas para definição do Arcano do Ano podem variar entre os diversos profissionais da área. 


Achou interessante?

Compartilhe em suas redes sociais:

Agendar Consulta de Tarot