(Foto: Pri Ferraz)

O Louco é o princípio e o fim, o Alfa e o Ômega. Ele representa, simultaneamente, nosso ponto de partida e a nossa meta, como uma espécie de jornada para casa e de união com a nossa Fonte. Esta é a carta de número zero no baralho e, ao mesmo tempo, é a última dos Arcanos Maiores (nº 22) – lembrando-nos que a vida é feita de ciclos e transformações que nos conduzem à evolução.

O Louco é a promessa de que tudo pode ser. Ele está no alto de uma montanha com o mundo diante de seus olhos e pode tomar a direção que quiser. Sua visão de mundo é ampla, não limitada por cercas, barreiras ou montanhas.

Isso revela o espírito aventureiro deste caminho. Aqui, vemos as incertezas dos novos começos, quando não temos ideia do que vai acontecer, mas sabemos que é hora de embarcar em novas viagens para descobrir as novidades que o universo nos guarda!

Na ilustração da carta, O Louco leva, em sua trouxa, sementes para plantar e cultivar ao longo de sua jornada. Na outra mão, ele segura um pedaço de papel em branco, onde qualquer coisa pode ser escrita. A Atribuição Astrológica deste caminho é Ar, afinal, é o menos “denso” dos elementos.

Sim, O Louco é leve e simples, e, para ele, tudo é possível. Hoje é o primeiro dia do resto da sua vida. Agora, imagine-se dentro da carta, com tudo à sua frente e podendo fazer qualquer coisa. O que você escolhe fazer?

Escolheu? Então, vá.